Sobre representação parlamentar do setor produtivo

É fácil identificar os que estão acima da média, em setores estratégicos / Divulgação

Fenômeno bastante comum, os setores corporativos observam a cena pública, mais detidamente, neste período que antecede a definição dos cenários políticos e eleitorais. Não que já não o façam, no dia a dia. Mas, especialmente, à medida que se aproximam a definição de palanques, no caso de candidaturas majoritárias, e listas de nomes, quando se trata de corrida aos parlamentos. Além de legítimo, faz parte de qualquer grande negócio a interação com o poder instituído, propriamente. Esse movimento já é visível, inclusive sendo essa uma dinâmica de mão dupla. Este ano está indo embora. É hora de planejar 2022. Sobretudo, para os que buscam bons representantes.

Chama a atenção, porém, a quantidade de homens de negócio que admitem entrar na briga por voto para chegar à Assembleia Legislativa ou Câmara dos Deputados. Duas observações. Primeira: sempre muitos se dizem dispostos a encarar a corrida eleitoral, mas não raramente recuam, por motivos vários, que não vêm ao caso. Segunda questão: no caso específico da bancada de deputados federais cearenses, há muitos bons exemplos de parlamentares que honram o mandato. Não citaremos nenhum deles. Mas, é fácil identificar os que estão acima da média, em setores estratégicos para o desenvolvimento do Estado, independentemente de questões partidárias.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.