Sobre política e inimigos poderosos

Shimon Hayut se passa por Simon Leviev, sedutor herdeiro de um pequeno império / Montagem sobre reprodução

Há situações na vida que lembram o famoso Simon Leviev (na verdade, Shimon Hayut) – personagem central do documentário top 10 da Netflix em 94 países, com mais de 64 milhões de horas de visualização. Herdeiro de um pequeno império, Simon é o sonho materializado de milhões de pessoas: sedutor, exala cheiro de atenção e sensibilidade. Bom de papo e outras coisas, é surpreendentemente bom no que faz. Tem muito dinheiro e prestígio, que faz questão de ostentar em grifes poderosas, champagnes caríssimas, festas exclusivas e jatinhos executivos em rasantes pelos locais mais badalados. Estar ao lado dele é estar no topo do mundo. Peça o que quiser.

Mas, tudo isso, dura somente enquanto Simon não consegue pegar o que veio buscar – ou a vítima não se dá conta, susto após susto, de que ele é um vigarista. Ainda assim, como num labiríntico jogo de gato e rato, o agora farsante consegue se safar, graças à casa de cartas, que sempre dá acesso a outros telhados. Enquanto isso, uma rede de mentiras, que envolve ciladas financeiras, cede lugar à antes comunicação perfeita. Em defesa, ele nega tudo e diz, no máximo, que está sendo perseguido por inimigos poderosos – e que precisa de mais ajuda. A vítima, enfim, descobre, da pior forma, que quase não há mais o que fazer. E aí, qual seu “golpista do Tinder” neste ano eleitoral?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.