A face oculta do novo czar

Ex-KGB, Vladimir Putin segue com máscaras, truques e métodos / Divulgação


Sem considerações sobre os mérito dos devaneios geopolíticos da guerra Rússia-Ucrânia, Vladimir Putin vai entrar – ainda não se sabe por qual porta ou janela – para a história do século XXI. Livros sobre o personagem listados em resultados de uma rápida busca na internet preencheriam a prateleira de uma estante. E a tendência da lista é só aumentar, com obras, provavelmente, no mesmo tom cavernoso. Alguns primorosos, textos como o de Masha Gessen (Putin, a face oculta do novo czar, Nova Fronteira, 292 pág.) deixam exalar o cheiro de fuligem da velha União Soviética, de cujos escombros emergiu o apadrinhado de Boris Yeltsin, no final do século passado. Desde então, o ex-dirigente da FSB/KGB vem mostrando porque quem um dia foi agente secreto jamais abandona suas máscaras, truques e métodos para matar.

A guerra por corações e mentes

Aspectos sociais, políticos, econômicos e comportamentais mudaram ao longo do tempo

Você confia no conteúdo que consome hoje como há 20 anos? Como entender as “crises dentro da crise” por que passa a imprensa convencional? As mídias sociais são, efetivamente, o futuro da comunicação? Por que as fake news desafiam governos, instituições e a própria democracia?

Não são questões simples nem há uma só explicação – para algumas, nem respostas há. São consequências dos próprios ciclos sociais, políticos, econômicos e comportamentais. Mas isso não impede que estejamos sempre atentos aos seus contextos, dinâmicas e consequências.

Por estas e outras razões, o Blog do Erivaldo Carvalho, vez por outra, vai fazer provocações na linha da cobertura jornalística, especificamente, e das mídias em geral.

Isenção, imparcialidade, liberdade de expressão e outros termos pétreos do jornalismo, assim como fenômenos mais recentes, tipo bolhas e pós-verdade, serão ganchos ou estarão no pano de fundo dos comentários.

Espaço que procura ter visão larga do processo, o Blog do Erivaldo Carvalho parte do princípio de que discutir a própria atividade é salutar, já que isso é uma das formas de se jogar luz sobre temas – alguns incômodos -, que não podem e nem devem ficar à sombra.

O leitor/internauta, de mediano para cima, não tem dúvida de que estamos no meio de uma guerra por corações e mentes, que passa, fundamentalmente, pelos processos comunicacionais de todo tipo. Sabe também que disso depende quem somos, o que seremos e para onde vamos.

Um dos problemas das guerras é que quase nunca podemos escolher de que lado da trincheira estaremos. E no calor dos conflitos, a primeira vítima sempre é a verdade. Por isso que muitos lutam em guerras que não são suas e por motivações que não se põem em pé.

Entender os elementos da comunicação nestes cenários de confronto nos ajudará a captar os principais movimentos de pretensos aliados e supostos inimigos. Isso pode representar a diferença entre a vida e a morte – simbólica ou real -, em ambientes hostis.

Toda guerra é feita de várias batalhas. Essa é uma das que o Blog do Erivaldo Carvalho enfrentará.